Revisão de Vida Útil: qual a hora de fazer?

Revisão de Vida Útil: qual a hora de fazer?
Se você ainda não fez a Revisão da Vida Útil do seu ativo imobilizado este ano, está atrasado! Essa é uma obrigação anual que consta na Lei nº 11.638/07

Compartilhe esse post

Se você ainda não fez a Revisão da Vida Útil do seu ativo imobilizado este ano, está atrasado! Essa é uma obrigação anual que consta na Lei nº 11.638/07, que visa a unificação das regras brasileiras com as da International Accounting Standards Board (IASB).
Além da Revisão da vida útil, essa lei também impõe a necessidade de fazer a revisão do valor residual do ativo imobilizado.


Você conhece esses conceitos? Conhece os benefícios que ele pode trazer para a gestão dos ativos? Caso tenha essas dúvidas, veio ao lugar certo. O Blog da Integrade explica cada detalhe para você. Confira!


Leia também! Entenda a revisão da vida útil do ativo imobilizado


O que é a Revisão de Vida Útil do Ativo Imobilizado

A Revisão de Vida Útil do Ativo Imobilizado é o ajuste contábil do valor dos bens de uma empresa considerando a passagem de tempo.


Você deve estar lendo este artigo em um smartphone, um computador de mesa ou um notebook, certo? Busque se lembrar o quanto você pagou por este equipamento e imagine por quanto você poderia o vender neste exato momento.


É claro que o valor atual de venda vai ser menor do que o valor de aquisição do produto novo. Isso acontece porque o equipamento está usado e passou por um processo de depreciação. É assim com qualquer bem que você tenha, seja na sua casa ou na empresa.

Acontece que no meio empresarial há necessidades contábeis que não temos em casa, como as impostas pela Lei nº 11.638/07. No entanto, o bom gestor sabe bem que as regras não são meras burocracias. Na verdade, um bom Laudo Técnico de Revisão de Vida Útil é uma ferramenta excelente para a gestão dos ativos.
Com ele você pode realizar previsões de investimento de forma muito mais assertiva. O cálculo de projeção do fluxo de caixa do negócio é muito mais próximo da realidade quando o gestor tem boas informações em mãos.


Leia também! Gestão de Ativos: 5 dicas para melhorá-lo


Laudo Técnico de Revisão de Vida Útil


O profissional responsável pelo Laudo Técnico de Revisão de Vida Útil precisa conhecer muito bem o Pronunciamento Contábil CPC 27, que tem como objetivo a normatização contábil dos Ativos Imobilizados de uma empresa.


Dois pontos deste Pronunciamento Contábil são de extrema importância para a Revisão da Vida Útil do Ativo imobilizado: o valor depreciável e o período de depreciação.


Vamos explicar melhor. Todo bem tem suas próprias características e a previsão de o quanto ele pode ser usado é mensurável. Assim, ele tem um Valor Justo ao ser adquirido e, com a passagem do tempo, a sua Vida Útil vai se esgotando, gerando um Valor Residual.


O regime de trabalho, assim como o uso inadequado de um determinado ativo também têm impacto sobre a depreciação do bem e, por consequência, na sua vida útil.


Pense novamente no seu computador, notebook ou smartphone. Se o equipamento for usado em uma sala climatizada, ele terá uma vida útil mais longa. Já se ficar exposto ao sol por longas horas, a depreciação será muito maior.


Outro fator relevante é a obsolescência tecnológica. Novas tecnologias estão surgindo a todo momento, tornando os recursos de equipamentos mais antigos desinteressantes sob o ponto de vista da produtividade, e levando o seu valor residual para baixo.


Há a necessidade legal de um Laudo de Revisão de Vida Útil anual para qualquer empresa. No entanto, cabe ao gestor determinar quando ele quer dar esse passo da gestão dos ativos. A legislação não define, por exemplo, se essa revisão contábil deve ser realizada no começo ou no fim do ano fiscal.


Leia também! Conheça o CPC 27 e como ele define o Ativo Imobilizado de uma empresa


Revisão da Vida Útil na Gestão de ativos


Existem pelo menos cinco passos bem distintos para que a mais perfeita gestão de ativos imobilizados seja realizada. São eles:
● Inventário patrimonial;
● Avaliação dos ativos;
● Revisão da vida útil;
● Determinação da taxa de depreciação;
● Teste do Impairment.


Cada um desses passos é de fundamental importância para que o gestor tenha o mais perfeito controle patrimonial. Os seguir é uma necessidade sob o ponto de vista legal e também para obter dados concretos que sustentem a gestão.


Uma boa empresa de consultoria é uma ótima opção para quem este em busca melhorar a gestão do patrimônio. Esse é o caso da Integrade Consulting, que oferece serviços para o Controle Patrimonial perfeito.

A Integrade conta com profissionais com ampla experiência e que estão em constante processo de atualização para conhecer as técnicas e métodos mais modernos para um serviço perfeito. A consultoria também conta com ferramentas tecnológicas que modernizam todo o processo de controle do patrimônio.


Se você ainda tem dúvidas sobre o assunto, entre em contato com um de nossos especialistas agora mesmo e dê faça a mais perfeita avaliação do bem imóvel.

Compartilhe esse post

Explore mais

No posts found!

Você deseja melhorar a performance do seu negócio?

Nos envie uma mensagem

× Como posso te ajudar?