O que é o Laudo PPA? 

O Laudo PPA tem a função de alocar os recursos pagos por uma organização na obtenção do controle de um ou mais negócios de uma outra entidade., de acordo com as regulamentações impostas pelo CPC 15, pela Norma Internacional de Contabilidade IFRS 3, pela Lei 12.973/14, e pela Instrução Normativa RFB 1.515/14 da Receita Federal. 

A sigla PPA vem do inglês Purchase Price Allocation, que em bom português em uma tradução livre, significa Alocação do Preço de Compra. 

Termos estrangeiros e muitas regulamentações envolvidas podem até dar a impressão de que o Laudo PPA é um pouco mais complicado do que realmente é, mas o fato é que ele é a representação da relação entre o preço pago por uma organização (ou parte dela) e o seu valor justo.  

Na prática, esse laudo apresenta os reais valores de ativos e passivos, tangíveis e intangíveis, de uma empresa em negociação. A grande vantagem é que o laudo PPA pode resultar em benefícios fiscais para a empresa compradora na negociação. 

Quer saber mais? Siga a leitura aqui no Blog da Integrade Consulting e descubra como você e sua empresa podem tirar proveito dele. 

Leia também! Laudo de Avaliação: Calculando o valor do seu patrimônio 

Laudo PPA: o que é o CPC 15? 

Neste ponto é importante olharmos com um pouco mais de profundidade para o CPC 15.  Essas regras do Comitê de Pronunciamentos Contábeis regulamentam vários aspectos das operações de venda/aquisição de uma empresa. 

É justamente o CPC 15 que determina como deve ser a alocação do preço de compra PPA, a mais valia e o Goodwill, além de regulamentar a baixa de benefícios fiscais e os procedimentos de reconhecimento. 

De forma mais simples, não é nada simples. São muitos procedimentos distintos e é preciso padronizá-los e aí que entra o CPC 15, que é o conjunto de regras que aprimora a relevância e a comparabilidade das demonstrações contábeis que dizem respeito a combinações de negócios. 

Assim, o CPC 15 tem como objetivo trazer maior confiabilidade nos negócios que envolvem vendas e aquisições de empresas. 

Leia também! Conheça também o CPC 01 e faça do Teste de Impairment uma vantagem para a sua empresa 

Laudo PPA: 4 passos decisivos 

Além de estarem enquadradas no CPC 15, as combinações de aquisição de uma empresa também precisam que as demonstrações contábeis estejam de acordo com as normas internacionais. Para isso, quatro passos distintos são necessários.  

1. Identificação do requerente – Esse é o primeiro passo e consiste em identificar quem obtém o controle de uma empresa ou de um negócio que foi adquirido; 

2. Determinação da data de aquisição – Mostra efetivamente a partir de qual data a combinação de negócio passa a ser efetiva; 

3. Reconhecimento e mensuração do custo de aquisição – Mostra quais são os ativos identificáveis adquiridos na combinação de negócios, além dos passivos assumidos na data da aquisição; 

4. Reconhecimento do goodwill ou o deságio– Significa mensurar o ágio ou deságio obtido na compra. É definido pela diferença entre o preço de compra e o valor justo líquido dos ativos e passivos no momento da efetivação da troca de controle do negócio. 

Leia também! Valor, Preço e Custo: Conheça as Diferenças 

Quando o laudo PPA é necessário? 

O laudo PPA é uma obrigação para qualquer empresa que tenha feito a aquisição de uma outra, ou ainda para as corporações que compraram uma participação em outras entidades incluídas no regime de tributação do lucro real.  

É esse documento que sustenta a diferença entre o valor de aquisição e o valor justo dos ativos adquiridos (o ágio ou deságio), padronizando as demonstrações contábeis às normas nacionais e internacionais. 

Por meio dele é possível apurar a diferença entre os valores contabilizados e o que de fato será pago. Para isso é preciso considerar ativos adquiridos e passivos assumidos, assim com os seus respectivos preços justos.  

Também são levados em conta estimativas de valores imobiliários, de maquinário e equipamentos, ativos intangíveis e ativos e passivos circulantes e não circulantes. 

Leia também! Ativo circulante saiba o que é e qual a sua importância 

Conte com a melhor consultoria 

Para a elaboração e um laudo PPA é necessária a presença de um profissional especializado, além de um perito independente e protocolado na Secretaria da Receita Federal.  Isso é uma garantia de que o documento tem validade jurídica, fiscal e contábil. Esses profissionais também são responsáveis pela imparcialidade das informações. 

O laudo é técnico e não pode ser contaminado por sentimentos. É bastante comum que proprietários, gestores e colaboradores tenham um apego sentimental por aquilo que foi construído ao longo do tempo. Dessa forma, contar com uma consultoria de qualidade é um trunfo para manter a imparcialidade das informações.  

Ainda tem dúvidas? Entre em contato agora mesmo com a Integrade Consulting e conheça mais sobre o assunto. É hora de dar um salto de eficiência na sua gestão! 

Conheça a relação entre o teste de Impairment e o Compliance 

Não é segredo para ninguém que o mercado está cada vez mais competitivo. A escolha por um produto ou serviço, por um fornecedor ou outro muitas vezes está em detalhes. Em um ambiente assim, boas práticas de governança são fundamentais. E é aí que entramos no tema desse artigo: a relação entre o teste de Impairment e o Compliance. 

Ambos os conceitos estão intimamente ligados à transparência, algo que o atual mercado exige. No entanto eles têm diferenças marcantes. 

O que é o teste de Impairment? O que é o Compliance? Como esses dois conceitos se relacionam? Siga a leitura aqui do Blog da Integrade, entenda os detalhes e dê um passo importante na busca por uma gestão mais eficiente. 

Leia também! Conheça o Teste de Impairment e saiba a hora certa de aplicá-lo 

O que é o teste de Impairment? 

O Teste de Impairment também é conhecido como Teste de Recuperabilidade do Ativo. Seu objetivo é estabelecer a capacidade de um determinado bem de gerar receita pela sua venda ou pelo uso. 

Explicando melhor, o teste de Impairment é uma das etapas da Gestão Patrimonial. Esse tipo de gestão é um processo no qual a empresa ganha pleno conhecimento dos bens que a ela pertencem e também uma excelente ferramenta para otimizar o uso e o valor financeiro dos ativos. 

A gestão de patrimônio conta com a realização de um inventário, a avaliação de ativos, a revisão da vida útil do imobilizado, a determinação de novas taxas de depreciação e, finalmente, o teste de impairment. 

Ou seja, após conhecer plenamente cada um dos bens que forma o conjunto de ativos imobilizados, o gestor verifica se o valor contábil de cada ativo excede ou não o valor recuperável. Em outras palavras, O teste de impairment permite que bens que já não servem para a empresa do ponto de vista contábil (obsoletos) se transformem em uma nova fonte de receita. 

Além disso, Teste de Impairment é uma obrigação legal imposta pelas normas contábeis (CPC01) e determinada pela Lei 11.638/07, I.N. 1.515/16. Não possuir os relatórios financeiros e contábeis, que devem seguir as orientações da orientação da ABNT 14.653, pode gerar problemas com o Fisco. 

Quem apresenta as suas contas de forma clara para o mercado está mandando uma mensagem clara para o mercado de que a empresa é sadia do ponto de vista contábil e de que tem boas práticas de governança. 

Leia também! O que é obsolência e quais são os seus impactos 

O que é Compliance? 

O compliance é um conceito de governança que protege a empresa contra eventuais problemas legais, mas vai muito além disso. Ele significa comprometimento com as leis e normas vigentes, causando um enorme impacto em como a empresa é vista pelo mercado. 

Por mais que pareça lógico pensar que todos precisamos seguir as normas e agir de forma ética, sabemos que na prática isso nem sempre acontece. Por isso, manter todas as operações dentro de um Código de Conduta e de uma Política da Companhia claros, e uma sinalização excelente da legalidade e compromisso da administração. 

Hoje o mercado exige esse compromisso com a idoneidade. A transparência tem um impacto enorme sobre a imagem da corporação que os adota. 

Leia também! O que é compliance e seus benefícios 

Como Impairment e Compliance se relacionam? 

Conhecendo os dois conceitos fica claro que ambos têm impacto sobre a credibilidade da empresa. Ambos têm relação com a responsabilidade social e também são ferramentas administrativas de extrema importância. 

Uma vez que a empresa está dentro das conformidades administrativas, o gestor tem dados mais precisos para a tomada de decisão e estabelecimento de novas estratégias. Além disso, ele sabe que multas e sanções não surgirão. 

A transparência, que deveria ser natural, passa a ser uma vantagem competitiva para a organização e pode até se transformar em novas fontes de renda. Interessados em investir necessariamente buscam empresas que tenham boas práticas tanto sobre a clareza dos dados expostos ao mercado quanto as pelas condutas adotadas por ela. 

Leia também! Como usar o QR Code no gerenciamento de inventário 

Venha para a Integrade! 

A contratação de uma consultoria especializada na gestão de patrimônio, com experiência em inventários e auditorias também é uma sinalização clara da transparência e da saúde econômica de uma corporação. 

A Integrade Consulting tem profissionais especializados no desenvolvimento das mais diversas ferramentas de trabalho, softwares de gestão,  

Entre em contato agora mesmo e saiba como dar um salto de eficiência na sua gestão! 

A Integrade Consulting conta com especialistas para todas as etapas do controle patrimonial e tem soluções para que a gestão dos bens da sua empresa seja muito mais eficiente. Entre em contato com nossos consultores e seja bem-vindo para agendar uma conversa! 

Finalidades do laudo de Avaliação Imobiliária

Avaliação Imobiliária

Ao fim da avaliação imobiliária é emitido um laudo. Esse parecer técnico é de suma importância nos negócios em que os imóveis são oferecidos como garantia ou ainda quando o proprietário será fiador em uma outra transação.

Claro, quando fazemos negócios, transparência é fundamental para a nossa segurança e a de nossos parceiros. Um parecer muito bem elaborado e fundamentado, que conte com a supervisão de especialistas, é uma garantia de integridade de toda a transação.

Neste artigo do Blog da Integrade você vai conhecer os aspectos técnicos que devem ser observados na avaliação imobiliária, como ela é desenvolvida e qual é o profissional perfeito para essa execução. Acompanhe!

Leia também! Avaliação de Imóveis passo a passo; confira 5 dicas

Quem faz a avaliação imobiliária?

Se colocarmos a avaliação de um imóvel nas mãos de quem não conhece como ela funciona, essa pessoa certamente irá olhar a condição geral do bem, observar o acabamento, a localização, o tamanho do imóvel e as condições da fiação. Claro que tudo isso faz parte de uma avaliação, mas ela vai muito além do famoso “olhômetro”.

Na verdade, o profissional responsável pela avaliação imobiliária legalmente tem que credenciado no CNAI (Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários) e regulamentado pelo COFECI (Conselho Nacional de Corretores de Imóveis).

Esse especialista conhece a fundo as normas técnicas que regem esse tipo de avaliação, como as NBRs 14.653-1, 14.653-2, 14.653-3 e 14.653-4 da ABNT, a Associação Brasileira de Normas Técnicas.

Leia também! O que é Avaliação Econômica?

Critérios para a avaliação imobiliária

São diversos os fatores que compõe a avaliação imobiliária. Eles têm grande impacto sobre o valor do terreno, casa ou apartamento. Conhecer cada um deles dará a certeza ao negociador de que a precificação é a mais justa.

Fatores internos contribuem para essa precificação. Por exemplo, a simples presença de uma garagem altera bastante o valor do imóvel, assim como uma boa área de lazer, uma piscina, armários embutidos, e outras melhorias pelas quais o imóvel tenha passado. Essas melhorias são conhecidas como benfeitorias.

Aspectos ligados à segurança também são de muita importância. Um sistema mais moderno com câmeras de monitoramento, cercas elétricas e até o tamanho do muro fazem parte da avaliação imobiliária.

Não menos importante são os fatores externos. A localização do imóvel na quadra, a facilidade de transporte, o bairro onde está localizado, o entorno urbano e muitos outros fatores podem levar o preço mais para cima ou mais para baixo.

Leia também! Descubra agora: O que é benfeitoria?

Mercado em constante mudança

Mais um fator que altera a avaliação imobiliária é o mercado, ainda mais em um país como o Brasil, em que os momentos econômicos são tão voláteis. Por isso a comparação do imóvel que está passando pela precificação com outros similares disponíveis no mercado também tem um peso no parecer.

Quando a procura é maior, o valor também sobe. Ao contrário, quando o mercado está menos aquecido, com menos compradores buscando fazer negócio, o valor tende a ser menor.

Também é preciso conhecer dois conceitos importantes, o Valor Venal e o Valor de Mercado:

Valor Venal: O preço estimado dos imóveis para compra e venda em uma transação à vista, após a análise feita pelo Poder Público, ou seja, a prefeitura de sua cidade. É sob esse valor então que são calculados os impostos do IPTU.

Valor de Mercado: O preço pelo qual os imóveis podem ser vendidos. O valor pode variar de acordo com tendências de mercado e de acordo com o momento da economia do país. Para chegar nesse montante, são levados em conta fatores mais subjetivos, que ficam à critério das negociações entre vendedor e comprador.

Leia também! Avaliação Imobiliária: 7 motivos para fazer uma agora

Como fazer a avaliação de imóveis perfeita?

Como já vimos, é preciso um profissional (ou um time de profissionais) que tenha muito conhecimento nessa área. Esse especialista precisa conhecer todas as regras que regem a avaliação imobiliária, conhecer em detalhes qual é o impacto de todos fatores internos e externos que pesam sobre o preço e também do momento do mercado.

Existem normas absolutamente técnicas que norteiam esse parecer. Cabe ao especialista eliminar possíveis distorções ligadas à percepção emocional do proprietário em relação ao imóvel, tornando a tarefa de encontrar o valor justo do imóvel muito mais eficaz.

Esse documento permite ao gestor do imóvel uma venda mais rápida, já que ele não terá o risco de supervalorização (o que dificulta uma venda) e nem de subvalorização (o que certamente causará prejuízo). Além disso, os negócios que usam imóveis como garantia serão mais seguros, já que contam com um parecer mais confiável.

A Integrade Consulting é uma consultoria com ampla experiência na avaliação de imóveis, que conta com profissionais especializados, com estratégias e softwares modernos e eficientes e trazem as melhores soluções. Ainda tem dúvidas sobre o assunto? Entre em contato com um dos nossos especialistas agora mesmo.

Como usar o QR Code no gerenciamento de inventário

qr code

Para entender melhor como o QR Code pode ajudar no gerenciamento do controle patrimonial, primeiro precisamos entender que o inventário é fundamental para conhecermos o patrimônio da empresa com exatidão, seja para fins contábeis ou em momentos de tomada de decisões estratégicas da organização.

Durante o processo de inventário de bens patrimoniais, algumas etapas são realizadas e a execução do emplaquetamento é fundamental para que o controle dos bens seja eficiente e não traga problemas no futuro. É justamente nessa hora que entra o QR Code.

Sendo mais específico, o inventário é, a grosso modo, uma base de dados bem estruturada e atualizada dos bens da empresa. Para a criação dessa base são necessários o reconhecimento e a identificação dos ativos da empresa. O uso da tecnologia do QR Code moderniza essa etapa do procedimento.

Quer saber como? Acompanhe este artigo do Blog da Integrade e dê um passo a mais em direção à excelência do seu controle patrimonial.

Leia também! O que é o Inventário de bens patrimoniais

QR Code no inventário: informações na palma da mão

Se antes um inventário inevitavelmente iria gerar uma montanha de papéis com os dados de cada um dos ativos da empresa, hoje isso não é mais necessário. Ao contrário, sistemas automatizados permite uma velocidade muito maior no acesso aos dados desses bens.

Durante o processo de inventário cada bem vai ter suas características levantadas e armazenadas. Entre os dados estão a data de aquisição, a localização física, o grau de importância no processo produtivo, se há necessidade de manutenção preventiva ou corretiva, qual é a sua vida útil individual e quais são os seus custos agregados.

Todas essas informações vão para o banco de dados e o ativo recebe uma plaqueta. É a partir dessa plaqueta que o gestor ou o responsável pelo controle patrimonial vai acessar as informações. Isso é feito por meio de uma tecnologia como código de barras, etiquetas de RFID ou o QR Code, entre outras.

Com um smartphone ou um tablet é possível fazer a leitura do QR Code e acessar todos os dados relativos ao bem. Mais do que isso, é possível fazer os mais diversos cruzamentos de dados e, dessa forma, criar relatórios para a tomada de decisões com muito mais assertividade.

Leia também! Integrade Mobile Inventory: modernize o seu inventário

QR Code no inventário: tecnologia em evolução

Modernizar o controle patrimonial é uma necessidade. Isso traz produtividade e também reduz muito as chances de erros humanos na captação de dados. Esses equívocos podem se tornar uma enorme dor de cabeça quando entram em pareceres contábeis. Erros podem, inclusive, se transformar em sanções contra a empresa.

Tendo em vista essa necessidade, as tecnologias estão em constante transformação, sempre buscando uma maior velocidade no acesso aos dados, a facilidade na manipulação dos dados e a eliminação na possibilidade de erros.

Assim, o QR Code está passando por um processo de modernização e novos recursos já estão disponíveis para quem busca otimizar o controle patrimonial. Entre as novidades podemos citar:

Micro QR Code – que permite a impressão em áreas bem menores do que as exigidas pelo QR Code tradicional;

iQR Code – uma tecnologia que permite o armazenamento de um número maior de dados;

SQRC – um tipo de código que permite restrições na leitura, preservando dados estratégicos para a gestão e aumentando a segurança da informação;

Frame QR – que torna possível a leitura em uma tela com a exibição de figuras, letras ou gráficos, ampliando as possibilidades de uso das informações.

Leia também! Emplaquetamento de Bens Patrimoniais

Tecnologia para o seu controle patrimonial

O uso de tecnologias para o controle patrimonial passa necessariamente pela escolha dos melhores recursos. Os avanços chegam muito rapidamente e a tecnologia que hoje é a mais adequada, amanhã pode já estar defasada.

Contar com o auxílio profissional de quem está em constante renovação e procurando novas ferramentas para sempre ter em mãos as melhores tecnologias é uma atitude que deve ser levada em conta.

A Integrade Consulting é uma consultoria com ampla experiência no controle patrimonial de parceiros. Nossos profissionais são especializados, têm estratégias e softwares modernos e eficientes e trazem as melhores soluções para a sua gestão de patrimônio.

Se você procura um parceiro que tenha esse know-how, é hora de conhecer a Integrade Consulting, uma empresa de referência no campo da gestão patrimonial.

Ainda tem dúvidas sobre o assunto? Entre em contato com um de nossos especialistas agora mesmo e aperfeiçoe o controle dos seus ativos.

Levantamento físico: conheça o seu patrimônio

levantamento fisico

Em primeiro lugar é preciso deixar claro que há diferenças entre o levantamento físico do ativo imobilizado e o inventário. Embora não sejam iguais, esses dois processos geram inúmeros benefícios para a gestão patrimonial.


Neste momento algumas definições são importantes para aqueles que não conhece bem os conceitos:


Ativo imobilizado – É o conjunto de bens usados para a operação da empresa. O ativo imobilizado é constituído pelos bens tangíveis, ou seja, aqueles físicos, que podem ser tocados. Claro, embora existam inúmeros conceitos de empresa, na maioria das vezes ela precisa de mesas, cadeira, computadores, maquinário, veículos e uma sede (o próprio imóvel), para funcionar.


Gestão Patrimonial – Uma vez que a empresa precisa desses ativos para se manter em funcionamento, há uma necessidade de uma gestão sobre eles. Qual é a melhor hora de fazer manutenção ou de trocar um determinado item? Qual é o tempo de vida útil que cada um tem? Qual é a fatia do orçamento que essa gestão vai precisar? Todas essas questões são respondidas pela gestão do patrimônio.


Levando em conta esses dois conceitos, o levantamento físico é uma ferramenta excelente para que o gestor possa tomar decisões mais acertadas.


Neste artigo do Blog da Integrade vamos mostrar como ela é usada para responder às principais questões relacionadas ao controle do patrimônio. Siga a leitura e aprimore a sua gestão!


Leia também! Como é feito o controle do Ativo Imobilizado


Levantamento físico e a gestão do patrimônio


A gestão do patrimônio pode ser interpretada como um balanço constante que tem como objetivo o controle de custos e o acompanhamento do conjunto de bens de uma empresa. Mas o que realmente isso significa?


Imagine uma empresa que os colaboradores usem como ferramenta de trabalho tablets para fazer vendas no dia a dia nas ruas. Essa corporação tem centenas de vendedores que não podem ficar parados.

Os tablets que eles usam, como qualquer outro equipamento, apresentam problemas de tempos em tempos. Além disso, em algum momento, cada um desses equipamentos vai chegar ao fim da sua vida útil e precisará ser trocado.


Assim, essa empresa precisa de uma equipe de manutenção e de tablets extras para substituírem aqueles que porventura apresentam defeitos, evitando que os vendedores fiquem ociosos.


Esse vai e vem dos ativos pode gerar uma confusão generalizada. A falta de controle coloca a gestão à beira de um penhasco e qualquer passo em falso pode significar um colapso em toda a operação.


Sem os tablets, os vendedores não conseguem vender, a equipe de entrega ficará ociosa e o pessoal do estoque sentirá o impacto. Toda a operação, que deveria funcionar como uma engrenagem perfeita, acaba por ser paralisada devido a falta de um bom controle do patrimônio.


Claro, estamos simplificando bastante a questão. Essa mesma empresa que usamos como exemplo é muito mais complexa, tem veículos que também precisam de manutenção, uma sede física que precisa eventualmente de reformas, computadores que se desgastam, entre outros ativos que precisam de atenção constante.


A gestão patrimonial é a área que evitará esse tipo de colapso e, além disso, vai preparar o caminho para que a equipe contábil tenha todos os dados para cumprir as obrigações fiscais, evitando sanções. Dentro dessa gestão, o levantamento físico é fundamental.


Leia também! O que é Gestão do Patrimônio


Levantamento físico x inventário patrimonial


O levantamento físico do ativo imobilizado é a formação de um cadastro físico de bens, com propósito de gestão patrimonial. Ele deve responder onde estão os ativos, qual o grau de importância deles no processo produtivo, se há necessidade de manutenção preventiva, corretiva, preditiva, qual é a sua vida útil individual e quais são os seus custos agregados.


Você pode até imaginar que esse conceito é o mesmo que o de um inventário, mas essa conclusão é errada.


O inventário é um estudo mais completo, que tem o levantamento físico como uma de suas etapas, mas também compreende levantamento contábil e conciliação, saneamento, implantação de normas e adequação de procedimentos.


Ou seja, os dois processos fazem parte do controle do patrimônio, mas têm níveis de detalhamento distintos. Todas essas informações ajudam a mapear quais são as fraquezas, fortalezas e urgências que a empresa tem no campo da infraestrutura.


Leia também! A diferença entre Levantamento Físico de Bens e Inventário Patrimonial


O melhor levantamento físico


Se você leu com atenção esse artigo, já deve ter percebido o alto valor estratégico que o levantamento físico e o inventário têm na gestão de uma empresa. Esse tipo de serviço pode ser inclusive um diferencial no custo final do produto da empresa.


A economia gerada por uma boa gestão patrimonial pode ser repassada para o produto final, que terá um custo mais baixo e um poder de enfrentamento ao produto do concorrente muito melhor. Esse é um importante diferencial competitivo.


Contar com parceiros que tenham pleno conhecimento de todos esses pontos é um caminho certeiro para o sucesso. Uma boa consultoria especializada conta com profissionais com ampla experiência e que estão em constante processo de atualização para conhecer as técnicas e métodos mais modernos para oferecer os melhores serviços.


Se você procura esse tipo de serviço de controle patrimonial, é hora de conhecer uma empresa com essas características. Esse é o caso da Integrade Consulting.


Se você ainda tem dúvidas sobre o assunto, entre em contato com um de nossos especialistas agora mesmo e dê faça a mais perfeita preparação para a sua auditoria.

× Como posso te ajudar?